10 comédias românticas (não clichês) para assistir online

filmes+romanticos+online

Eu tô querendo fazer essa lista há meses! A coisa que mais amo na vida é encontrar histórias fora da caixa, que fogem do que estamos acostumados a encontrar. E essa aqui é a minha lista de comédias românticas fora da caixinha. Eles podem não ficar juntos no final, a história pode não ter aquela amiga divertida e tenho certeza de que algum deles vai fazer diferença na sua vida.

Aproveitem alguns dos meus segredos mais bem guardados, até agora. 

  1. A la mala                                                                    

    Eu amo como esse filme tem tudo para ser clichê e não é! Eu nunca, nunca tinha visto uma história tipo essa. Eles deram uma roupagem totalmente nova para essa história de garota encontra cara rico e cafajeste, cara rico e cafajeste se apaixona por garota. E TEM UMAS CENAS FOFAS QUE SOCORRO! Segurando para não dar spoilers. Só corram no Netflix e vejam, agora.

  2. Se eu ficar

    É impossível terminar esse filme sem ficar apaixonada pelo Adam (ok, ele é quase meu namorado dos sonhos, então pode ter sido só eu). No início do filme, você vai achar a vibe mega Nicholas Sparks/John Green, mas a forma como a história se desenvolve e é contada, muda completamente o rumo disso. AH! Você vai ouvir Heart Like Yours, a música da cena final, por dias!
  3. Adam

    O Adam é tão completamente estranho, que chega a ser apaixonante. Amo quando os filmes conseguem tratar de forma real e delicada problemas como autismo e Síndrome de Asperger. Tinha tudo para ser um filme triste, mas é lindo e aconchegante, como um abraço.

  4. In your eyes

    Nas palavras de um amigo meu, esse filme é “extremamente agoniante”. E, sim, essa sensação de agonia pode acontecer por conflitos morais. Eu queria muito que algo acontecesse, mas se acontecesse seria errado e agora não sei o que fazer. A história é algo que… UAU. Tenho certeza que você nunca leu ou viu algo desse tipo. Mesmo sendo agoniante, é completamente fora de caixa e vale a pena assistir.

  5. Mesmo se nada der certo

    Tem Adam Levine e Mark Ruffalo, tem (muita) música boa, tem uma história incrível e tem no Netflix. Ok, já apresentem bons argumentos.

  6. A incrível história de Adaline

    Filmes de época tem meu coração, ainda mais se eles tem a Serena Van der Woodsen Blake Lively como estrela principal! Essa também é uma daquelas histórias apaixonantes, que fazem você achar que entendeu direitinho como o filme ia ser, para depois te deixar completamente admirada e chocada (de um jeito bom!) por as coisas não saírem como você tinha planejado.

  7. Como não esquecer essa garota

    Comecei a ver esse filme completamente sem pretensão e a história foi tomando conta de mim. Daquelas que fazem sorrir em frente a tela, sabe? Você pode achar que é uma versão de Como se Fosse a primeira Vez, mas não… Só assista e se deixe ser surpreendido.

  8. Meu namorado do futuro

    Esse filme é tão ruim, que é maravilhoso! A história é tão previsível, que chega a ser fora da caixa e completamente diferente do que a gente acha que vai ser. Não julgue o livro pela capa e dê uma chance!

  9. Guerra é guerra

    Sei que você deve estar achando (pelos atores e pelo trailer) que é mais uma comédia hollywoodiana e cheia de clichês, né? Espiões, legalmente loira, testes de produtos! Como isso pode ser clichê, gente?

  10. Monte Carlo

    Acho injusto esse filme estar na parte infantil do Netflix, mas vou superar! Pode parecer uma versão adaptada de 4 Amigas e um Jeans Viajante, só que não, ok? Dá uma chance para Selena Gomez te surpreender em como ela é boa atriz (#teamSelena).

E por aí, você tem algum filme romântico que goste muito e não seja clichê? Me conta, vamos compartilhar nossos tesouros!

ps: agora a gente tem um Instagram só nosso! Segue lá @quintalblog 

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
  • Blogger
  • Tumblr
  • Pinterest
  • Orkut
  • Reddit
  • Delicious
  • LinkedIn
  • Add to favorites
  • PDF
  • Print
  • Email
  • RSS

Como se sentir bonita

tess+holliday+chiara+ferragni+2

Eu acho a Tess Holliday maravilhosa. Mesmo. Não só por tudo o que ela representa, mas porque – de fato –  acho ela uma mulher linda! Em todos os aspectos. Cabelo, corpo, rosto, estilo, jeito… para mim, a Tess é uma mulher deslumbrante.

Mas eu tenho certeza absoluta que eu não me sentiria bem comigo se engordasse mais uns cinco quilos. E não é questão de gordofobia, é uma questão de entender o que acho bonito PARA MIM.

Eu sou completamente apaixonada pela Chiara Ferragni. Mesmo. Não só por ela ser uma empreendedora com uma história incrível, mas porque – de fato – acho ela uma mulher linda! Em todos os aspectos. Cabelo, corpo, rosto, estilo, jeito… para mim, a Chiara é uma mulher deslumbrante.

Mas eu tenho certeza absoluta que eu não me sentiria bem comigo se emagrecesse mais vinte e cinco quilos. E não é uma questão de não achar corpos dentro do padrão convencional bonitos, é uma questão de entender o que acho bonito PARA MIM.

Muitas vezes a gente se atrapalha toda por achar certas características lindas nas outras pessoas, mas não conseguirmos nos sentir tão bem quando elas estão na gente. Isso é um problema, afinal?

Como se sentir bonita, sendo fiel à você mesma, não fazendo as coisas por imposição de padrões estéticos e – ainda assim – reconhecer e exaltar a beleza no outro?

Como me sentir bonita se eu me acho horrível?

“Você é linda!” Eu já falei isso um milhão de vezes, você já deve ter ouvido isso mais umas duas milhões de vezes, mas mesmo assim parece não ser verdade, né?

Muitas vezes o não reconhecimento da sua beleza acontece porque você está com referências que não tem nada a ver com a sua realidade.

Por exemplo, já parou para ver quem você segue no Instagram? Há algum tempo atrás eu seguia várias meninas, bem magrinhas (magrinhas nível modelo), loiras, super bronzeadas… Me sentia super mal comigo. Todas elas são lindas, sim! Mas não tem nada a ver com meu biotipo e minha realidade.

Referência é tudo!

Depois que li esse texto no GWS (um dos blogs que mais acho incríveis nessa vida), sobre mudar nossas referências de beleza, entendi o motivo de muitas preocupações e cobranças sem sentido que eu tinha comigo mesma.

Fui deixando de seguir essas meninas e começando a seguir gente que tinha a ver comigo. Um corpo mais violão, morenas com cabelo volumoso (e lindo!), numa vibe e num estilo que eram mais os meus.

Não tô dizendo que você deva fazer isso (de sair dando unfollow na galera)… mas deu certo para mim. As vezes a gente precisa cortar algumas coisas pela raiz, para dar dar o pontapé inicial de mudanças definitivas.

debora+alcantara+barbie+nox+2

Quando você se cerca de um padrão irreal e inalcançável – não que você não tenha força de vontade para conseguir o que quiser, aqui estamos falando de biotipo (o tipo de coisa que não se muda com nenhuma dieta) -, vai estar SEMPRE infeliz e SEMPRE se achando feia.

Quando você começa a se cercar de belezas parecidas com a sua, ou que possuem algo com o qual você se identifica, começa a notar aspectos seus de outra maneira.

Hoje acho meu quadril lindo! Veste super bem o tipo de roupas que eu uso e só entendi e passei a admirar isso depois que comecei a seguir mulheres que tinham um biotipo parecido com o meu (mas essa vitória aqui eu dedico para a Débora Alcântara ♥).

Então, primeiro passo no tutorial de como se sentir bonita: mude suas referências!

Aprendendo as tretas

De qualquer forma, se sentir bonita é um processo.

Não é de um dia para o outro que você vai olhar o seu cabelo e ficar tipo: MEU DEUS, QUE COISA DE OUTRO MUNDO, ME AMO E EU NAMORARIA COMIGO FÁCIL!

Mas, ao começar a mudar o seu olhar a respeito de você mesma (e aqui as referências ajudam muito), você começa a descobrir como ser a sua melhor versão.

Se amar incondicionalmente não significa que você não vai usar maquiagem ou nunca mais comprar produtos para o seu cabelo. Significa que você vai passar a investir nas coisas certas.

Agora que você já segue meninas parecidas com você, fique de olho nas dicas delas.

“Que produtos ela usa para deixar o volume do cabelo tão controlado? Mas olha como ainda continua brilhante e tem movimento! Isso é algum finalizador?”

“Hm… ela usa bastante cintura alta. E fica lindo, marca o quadril e alonga as pernas. Porque não tentar?”

“Ah! Ela tinha o mesmo problema que eu tenho com manchas na pele muito clarinha… deixa eu ver como foi o tratamento, vou comentar dele com o meu dermatologista.”

Essas coisas, gente. Pessoas com belezas e biotipos parecidos, provavelmente já enfrentaram os mesmos problemas em relação aos mesmos. Por isso é sempre legal descobrir como as pessoas que te inspiram lidaram com o assunto.

Com certeza, as soluções são infinitamente mais viáveis para você do que seriam soluções dadas por quem não tem nada a ver com seu biotipo e beleza.

kylie+jenner+tuula+vintage+2

De você só te uma

Mesmo se inspirando e pegando dicas de pessoas parecidas com você, entenda que você é única.

Não queira ser igual à ninguém. Não copie cegamente qualquer coisa que alguém fez e deu certo.

Pondere. Pense. Digira.

Entenda quem é você. Seus pontos fortes, seus pontos fracos, onde está e para onde quer ir. Tanto esteticamente quanto na sua vida pessoal e profissional.

Você é feito de corpo, alma e espírito. E os três devem ser cuidados, entendidos e levados em conta da mesma maneira. Se um está desequilibrado, todo mundo sofre. E você sente aquele vazio sem explicação.

Então, se respeite. E, mais uma vez, entenda que é um processo. De conhecimento, aceitação e paciência. Nem todos os dias são incríveis, mas se a gente consegue entender que os dias ruins são só uma parte bem pequena do inteiro, já avançamos bastante.

Ainda sobre a Tess e a Chiara

Só para fechar: eu não me acho muito bonita quando estou acima do peso, nem abaixo dele. E isso não é gordofobia ou ignorar completamente outros tipos de beleza, é só auto conhecimento.

Ser gordo ou magro não define caráter ninguém. É só mais uma característica, como ter cabelo loiro, sobrancelhas grossas ou ser bronzeada.

Eu também não gosto de cabelo loiro em mim, mas isso não me impede de achar a Adele surrealmente maravilhosa.

Eu tô na luta para deixar minhas sobrancelhas mais grossas, mas MEU DEUS DO CÉU, como o rosto da Angelina Jolie é assimétrico e ela é linda de morrer.

Viu? Você pode (e deve) reconhecer, admirar e elogiar belezas diferentes da sua. Mas se conheça o suficientemente bem para entender o que você acha bonito em você. E respeite isso.

E por aí, como vocês fazem para se sentirem bonitas? Já viveram (ou vivem) algum problema de auto estima? Conta para mim aqui nos comentários, quero muito ouvir suas histórias!

ps: agora a gente tem um Instagram só nosso! Segue lá @quintalblog 

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
  • Blogger
  • Tumblr
  • Pinterest
  • Orkut
  • Reddit
  • Delicious
  • LinkedIn
  • Add to favorites
  • PDF
  • Print
  • Email
  • RSS

6 séries no Netflix para mulherzinha (empoderada)

serie+mulherzinha+netflix

Série e Netflix se combinam assim como arroz e feijão, Claudinho e Bochecha, Romeu e Julieta. Mas e quando a gente encontrar as melhores séries do Netflix para meninas empoderadas, fazendo a gente acreditar e viver mais ainda o nosso #grlpwr?

Essas são as minhas escolhas de série mulherzinha Netflix:

  1. Unbreakable Kimmy Schmidt

    “Unbreakable Kimmy Schmidt é bom?” 

    SIM! MIL VEZES SIM! Em séries originais Netflix ela é, de longe, uma das minhas prediletas.

    Uma mulher que foi aprisionada por um louco durante quinze anos, vai para Nova York viver a vida que sempre quis viver. Só isso já vale você apertando o play, né?

    Calma que só melhora: uma das roteiristas da série é a Tina Fey (MUSA!), as frases empoderadoras da Kimmy vão te querer fazer atualizar o status do Facebook a cada episódio.

    Dica: aperte o botão KIMMYFICAR, quando for assistir no Netflix. Você já encontra a 2 temporada de Unbreakable Kimmy Schmidt disponível, tá?

  2. Orange Is The New Black

    O que falar dessa série que eu pré julguei por tanto tempo? Achava que só era pegação e nada de história até que, num dia sem nada para fazer… Fui mordida pelo bichinho de Litchfield

    Na minha opinião, uma das coisas mais incríveis da série é o poder superação e reinvenção demonstrado pelas meninas. O elenco de Orange is The New Black dá uma aula de empoderamento e “você pode conseguir o que quiser e ser quem quiser” dentro e fora da tela.

  3. Chelsea Does…

    Chelsea Does, documentário do Netflix para quem gosta de saber um pouco sobre tudo. O mais legal é a opinião super sincera da Chelsea Handler, comedidante que eu A-M-O, de humor super polêmico e ácido.

     

    Chelsea é um exemplo do que fazer e do que não fazer, e eu curti muito o fato dela ser sincera durante todo o processo de gravação.

    Ótimo para conhecer outros pontos de vista da vida, realidades completamente diferentes da sua, formar novas opiniões e consolidar algumas tantas.

  4. House of Cards

    Em tempos de bela, recata e do lar, quem melhor do que Claire Underwood para desconstruir o assunto?

    Se você gosta de política e, principalmente, mulheres na política… só veja! Vou parar por aqui, não quero dar spoilers comprometedores. 

  5. Drop Dead Diva

    Essa é especial para galera que ama discutir e entender mais sobre padrões de beleza!

    Imagina ser uma modelo alta, magra, loira, com uma vida super glamourosa, cheia de marcas e roupas caras? E se, do nada, você virasse uma advogada gordinha, que não curte muito se arrumar, super inteligente e que sempre coloca as necessidades dos outros em primeiro lugar?

    Daquelas séries levinhas e divertidas, para assistir antes de dormir.

  6. Girl Boss (em breve, yeah!)

    Ai, essa vibe empreendedora mexe com meu coração.

    A história da Sophia Amoruso é SURREAL! Desde que li o livro (com o mesmo nome da série – Girl Boss), ficava pensando em como aquilo era história de filme (agora vai virar série!).

    As coisas que ela fez e passou, gente… Não teria como acreditar se não fosse ela mesma contando.

    A série ainda não estreiou, mas já dá para entrar na lista, né? Tô curiosa para ver o que a galera do Netflix vai aprontar na produção!

E por aí, você tem alguma série que acha super girl power? Me conta aqui nos comentários, vamos trocar dicas!

ps: agora a gente tem um Instagram só nosso! Segue lá @quintalblog 

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
  • Blogger
  • Tumblr
  • Pinterest
  • Orkut
  • Reddit
  • Delicious
  • LinkedIn
  • Add to favorites
  • PDF
  • Print
  • Email
  • RSS